Pioneira na tecnologia para a produção do etanol de segunda geração, ou celulósico, a Raízen tem o compromisso de desenvolver a energia do futuro por meio de fontes renováveis e mais sustentáveis. O biocombustível é gerado a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar (palha e bagaço) usada no processo tradicional de fabricação de etanol e açúcar. Dessa maneira, permite incrementar a nossa produção anual de etanol, sem precisarmos aumentar a área cultivada.

 

Em novembro de 2014, iniciamos a operação de nossa primeira planta industrial para a fabricação do biocombustível em escala comercial. Finalizada em tempo recorde, a unidade localizada em Piracicaba (SP) hoje produz 40 milhões de litros de etanol a mais por ano.

A tecnologia de segunda geração foi elaborada e aprimorada ao longo de anos de estudos e planejamento. A Raízen investiu R$ 237 milhões em pesquisa, desenvolvimento e infraestrutura. Hoje, essa inovação representa a chave para tornar o etanol ainda mais competitivo e atender à crescente demanda por biocombustíveis no Brasil e no mundo.

 

Benefícios do etanol de segunda geração:

  • Aproveitamento da cana-de-açúcar e seus subprodutos;

  • Utilização de insumos já disponíveis nas unidades, apresentando uma vantagem logística;

  • Aumento da fabricação de etanol em até 50% sem ampliar a área de cultivo;

  • Produção do biocombustível mesmo durante a entressafra da cana;

  • Redução da emissão de carbono durante a produção, gerando um combustível mais limpo.

 

Tecnologia e reaproveitamento

A Raízen, em parceria com a Iogen Corporation, é uma das acionistas da Iogen Energy, que desenvolveu a tecnologia de processamento da biomassa para a produção do etanol celulósico. Com a tecnologia de segunda geração, os coprodutos da fabricação convencional de etanol  e açúcar, que, em parte, já são direcionados à cogeração de energia, serão matéria-prima para produção dessa nova geração do biocombustível.

Durante a fabricação do etanol celulósico, os resíduos passam por um pré-tratamento em que as fibras são desestruturadas e, depois, são transformadas em açúcares solúveis por meio de processo chamado “hidrólise enzimática”. Nessa etapa, utilizamos uma tecnologia de enzimas específica para a fabricação do etanol de segunda geração, desenvolvida pela empresa dinamarquesa Novozymes.

Na fase seguinte, a fermentação converte o açúcar em etanol, que é purificado na destilação e enviado para a comercialização. A composição do produto final é idêntica à do etanol de primeira geração, diferenciando-se apenas pela matéria-prima utilizada no processo produtivo.

Até 2024, a Raízen planeja construir mais sete plantas de etanol celulósico, além da primeira inaugurada em Piracicaba. A expectativa é que essas unidades, ao serem localizadas próximas a plantas para produção de primeira geração, operem com capacidade máxima e produzam um bilhão de litros de etanol por ano.

Para saber mais sobre como a Raízen investe para aumentar a eficiência de seus processos produtivos e operações, acesse o nosso Relatório de Sustentabilidade.

 

Raízen nas redes sociais

X

Exportações Fraudulentas de Açúcar

A Raízen alerta seus clientes e público em geral sobre tentativa de terceiros não autorizados realizarem exportações fraudulentas de açúcar em seu nome. Reforçamos que o canal de comunicação com a empresa é o e-mail sugar.export@raizen.com e que não anunciamos açúcar no site alibaba.com.

Caso qualquer pessoa e/ou empresa faça contato por e-mail diverso informando que representa a Raízen, e/ou qualquer empresa do seu grupo econômico, para exportação de açúcar, não realize a transação e informe imediatamente para Auditoria.Interna@raizen.com.

X

Sugar Fraudulent Exports

Raízen warns your clients and the general public about the attempt by unauthorized third parties to perform sugar fraudulent exports on its behalf. We emphasize that the communication channel with company is the e-mail sugar.export@raizen.com and that we do not advertise sugar on web site alibaba.com.

If any person and/or company makes contact by other e-mail informing that he or she represents Raízen, and/or any company of Raízen’s economic group, concerning sugar exports, do not perform the transaction and immediately report to Auditoria.Interna@raizen.com.