Sustentabilidade

Sustentabilidade: O que é e qual a sua importância?

A sustentabilidade gera valor aos negócios, à sociedade e ao meio ambiente. Veja como estimular o pensamento inovador através deste conceito.

Por: Times de Sustentabilidade e Comunicação Corporativa da Raízen Data: 13/08/2020 Tempo de leitura: 20 Minutos

Sustentabilidade corporativa é um conceito cada vez mais valorizado no mercado, e esse é um dos motivos pelos quais precisamos abordar cada vez mais o tema. Mas a final, o que é sustentabilidade corporativa? E por que é tão importante? Costumamos relacioná-la apenas ao cuidado com o meio ambiente, mas a sustentabilidade vai além disso.

Empresas que aplicam a sustentabilidade nos seus negócios percebem uma melhoria e aumentam suas chances de perenidade, competitividade e maior geração de valor para todos os públicos, pois buscam as melhores práticas, maior eficiência, transparência e muito mais. Essas e outras questões você encontra nesta matéria:

  • O que é sustentabilidade?
  • Qual é a importância da sustentabilidade para a sociedade e empresas?
  • Sustentabilidade e a Teoria dos Stakeholders
  • O que é o Desenvolvimento Sustentável?
  • Tripé da Sustentabilidade ou Tripple Bottom Line: o que é?
  • O conceito ESG em Sustentabilidade
  • Quais critérios ESG se alinham à sustentabilidade?
  • Como a inovação pode otimizar a sustentabilidade em uma empresa?

O que é sustentabilidade?

Sustentabilidade vem da palavra “sustentável”, do latim, “sustentare”, que significa sustentar; defender; favorecer; apoiar; conservar e cuidar.

Basicamente, o conceito de sustentabilidade corporativa está relacionado com a integração dos aspectos sociais, ambientais e econômicos/governança na gestão dos negócios.

Para a sociedade, sustentabilidade é suprir as necessidades do presente sem afetar as gerações futuras. Em uma visão empresarial, corporativa, sustentabilidade é gerar valor continuamente para as partes interessadas no negócio (stakeholders), como acionistas, clientes, colaboradores e colaboradoras, governo, sociedade e demais parceiros de negócio.

Esse conceito surgiu do entendimento de que os recursos naturais são finitos, ou seja, em algum momento se esgotam – principalmente pela velocidade do consumo com que o ser humano os utiliza. Isso tem impulsionado a buscar alternativas cada vez mais sustentáveis, eficientes e limpas, para continuar suprindo as necessidades de uma crescente população.




Qual é a importância da sustentabilidade para a sociedade e empresas?

Como você viu, a sustentabilidade busca garantir a possibilidade de suprir necessidades das populações atuais sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades. Além disso, do ponto de vista empresarial, é a geração contínua de valor para as partes interessadas no negócio (stakeholders).

Do ponto de vista das empresas, a sustentabilidade proporciona:

  1. Identificar riscos socioambientais causados pela sua atuação;
  2. Mitigar riscos para potencializar oportunidades para o negócio e benefícios para a sociedade;
  3. Estimular a inovação na busca por processos mais otimizados, circulares e responsáveis;
  4. Gerar valor na cadeia produtiva sustentável, posicionando o compromisso da companhia com o presente e com o futuro;
  5. Agregar competitividade via negócios mais eficientes e que dependam de menos recursos ou energia, favorecendo o desempenho da empresa;
  6. Fortalecer a posição de marca empregadora, já que as pessoas cada vez mais buscam propósito e valores fortes nos lugares em que trabalham;
  7. Aumento de reputação corporativa e institucional.

De forma mais ampla, a sustentabilidade traz um olhar mais cuidadoso para que a gente repense a cultura do consumo, evite o esgotamento de recursos naturais, reduza o impacto sobre a extinção de espécies e as mudanças climáticas, trabalhe questões relacionadas aos direitos humanos e diversidade, conserve a biodiversidade, advogue por agendas anticorrupção e pró ética, entre diversos outros temas socioambientais.

Como a Sustentabilidade surgiu e qual a sua relação com o termo ESG?

Muitas pessoas podem ter o entendimento equivocado de que sustentabilidade se resume apenas ao cenário ambiental. Mas não é bem assim: quando falamos em sustentabilidade nos referimos também à economia e a sociedade, de maneira interdependente, integrada. Quer saber mais como esse conceito surgiu? Nós te explicamos!

Sustentabilidade e a Teoria dos Stakeholders

As raízes do conceito de Sustentabilidade surgiram há muito tempo, em meados de 1984, com o estudioso Freeman, em sua “Teoria dos Stakeholders”.

Resumidamente, essa teoria fala sobre os interesses dos proprietários de um negócio não serem os únicos a serem considerados na gestão de uma empresa. Ou seja, haviam-se de ser consideradas todas as partes interessadas na atividade produtiva (Stakeholders) para a perenidade daquele negócio.

O que é o Desenvolvimento Sustentável?

Posteriormente, em 1987, surge o conceito de “Desenvolvimento Sustentável” no lançamento do Relatório Brundtland (também chamado de “Nosso Futuro Comum”), da ONU.

A ideia geral desse conceito é de suprir as necessidades atuais, sem afetar a capacidades das futuras gerações de fazê-los. Além disso, pela primeira vez foi falado de questões ambientais, sociais e econômicas.

Tripé da sustentabilidade: um conceito corporativo

Em 1994, o sociólogo e consultor britânico John Elkington criou o conceito de Tripé da Sustentabilidade – ou Triple Bottom Line (TBL) - também conhecido como Pessoas, Planeta e Lucro.

Resumidamente, esse conceito indica que um negócio sustentável era aquele que procurasse por um equilíbrio nos resultados corporativos sociais, econômicos e ambientais. Ou seja, empresa sustentável é:

  • socialmente justa com seus colaboradores e outras pessoas envolvidas na sua cadeia de operações;
  • ambientalmente responsável em relação ao uso de água, recursos naturais, impacto no planeta, manejo de resíduos e mais;
  • financeiramente viável de forma a garantir a longevidade do negócio, otimização de processos e o lucro.




O que é ESG e como ele surgiu?

O conceito de ESG evoluiu a partir do conceito do Triple Bottom Line, com um olhar adicional para governança, ética e transparência das informações. ESG é, sobretudo, uma lente avaliativa de riscos e oportunidades e da gestão socioambiental, com a qual investidores observam o desempenho e potencial de crescimento de empresas.

ESG, significa, Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança), o que engloba o conceito de “ser sustentável” em todos os processos de uma companhia.

Esse termo surge em 2004, em uma iniciativa da ONU com o Banco Mundial, em que os investidores e o mercado financeiro começaram a considerar critérios ambientais, sociais e de governança no entendimento de riscos e oportunidades para seus negócios.

Em 2020, o ESG acaba ganhando bastante destaque no Fórum Econômico Mundial em Davos, onde os desafios da pandemia de covid-19 emplacam critérios ESG como centrais nas discussões da perenidade e resiliência dos negócios.




Exemplos dos critérios ESG nas empresas

Afinal, quais são os exemplos práticos desses critérios em uma empresa?

  • Ambiental: redução dos impactos ambientais negativos por meio de estratégias e planos de ação corporativos vinculados ao modelo de negócio (ex: redução da pegada de carbono e água na concepção dos produtos e serviços, nos transportes, adoção de produtos e embalagens sustentáveis, utilização de ferramentas de análise de ciclo de vida dos produtos etc) e projetos de impacto e engajamento local (ex: reduzir o uso de água nos escritórios, trocar lâmpadas incandescentes por LED, utilizar descargas de água econômicas, uso de torneiras de baixo consumo ou automáticas, separação do lixo, reutilização de móveis, economia de papel etc.), .
  • Social: pensamento crítico para repensar padrões de desenvolvimento social e criação de soluções inovadoras a partir da diversidade dos times, desenvolvimento de planos de relacionamento e engajamento das comunidades do entorno das operações, respeito incondicional dos direitos humanos e sua promoção na cadeia de valor, desenvolvimento socioeconômico de fornecedores locais, investimento no treinamentos de times internos, planos de voluntariado, inclusão e diversidade, entre outros.
  • Governança: consistência dos critérios ambientais e sociais através de uma gestão interna robusta, com processos claros que garanta a ética e cumprimento da legislação (compliance), transparência e publicidade dos resultados do negócio, além da diversidade das pessoas em fóruns de gestão, implementação de políticas anti corrupção, promoção de compras sustentáveis de insumos, bens e serviços, entre outros.

Como a inovação pode otimizar a sustentabilidade em uma empresa?

A possibilidade de inovação é muito grande quando falamos em sustentabilidade, já que esse conceito é amplo e abarca desde melhorias incrementais de processos (ex: aumentar a eficiência e produtividade, otimizar políticas e procedimentos etc.) até melhorias de ruptura (ex: mudança de modelo mental nos processos organizacionais, repensar em um novo modelo de negócio além do tradicional ou a concepção de um novo produto que desafie o uso convencional de matérias primas e reduz seus impactos negativos ao ambiente e sociedade em sua fase de uso).

Por meio do entendimento dos conceitos de inovação de ruptura e incremental, uma empresa pode utilizar os critérios ESG para identificar seus principais temas estratégicos, com os quais pode gerar maior impacto positivo para seu negócio e a sociedade.

Algumas ferramentas muito interessantes para impulsionar a inovação é o uso de modelos esquemáticos (Ex: Análise do Ciclo de Vida - “ACV”-, que olha para os principais impactos ambientais de um produto ou serviço) e tecnologias de colaboração em rede (Ex: Inovação aberta, que expande os limites de atuação da empresa e a conecta com os setores criativos da sociedade, como startups, faculdades, centros de pesquisa etc.). Ambos os processos permitem oxigenar e administrar os negócios com mais eficiência, potencializando novas oportunidades de crescimento ao se integrar os critérios ESG.



Dentro do seu setor, o que poderia ser substituído ou repensado no quesito ambiental, social e de governança? Seria uma mudança na gestão de pessoas e direitos humanos? Ou no modelo de trabalho, tornando-o melhor para as pessoas e para a sociedade? Seria atuar para reduzir as emissões de gases de efeito estufa na concepção de produtos mais limpos? Talvez redesenhar a estrutura de governança corporativa, adotando o conceito de hierarquia horizontal, por exemplo? Ou seria radicalizar e criar um novo negócio bastante diferente do atual, mas muito conectado com um ou mais desafios socioambientais da sociedade?

Para adotar o conceito de sustentabilidade aliado à inovação, comece reavaliando a forma que os processos são feitos em sua gestão e adapte-os aos conceitos que vimos por aqui hoje, de acordo com as necessidades atuais da sua empresa.

A resposta certa é aquela que melhor funciona dentro do seu negócio, e que gera os impactos mais positivos para seus stakeholders. ⚡

A sustentabilidade vive em nossa raiz. Quer conhecer mais sobre nossas iniciativas sustentáveis?

Acesse a página Agenda ESG e confira nossos compromissos com a sustentabilidade, o que estamos fazendo e os resultados que já alcançamos. É só clicar!

Conheça a Raízen

Para garantir a energia que move o mundo, temos um ecossistema integrado e
único de atuação: desde a produção e venda de energia renovável e açúcar a partir
da cana-de-açúcar, levando também essa energia para diversos cantos no mundo.

Cadastre seu e-mail para ficar por dentro das últimas novidades.

Ao se inscrever você concorda com a política de prívacidade. E-mail cadastrado com sucesso!